Como fazer o sal temperado: uma forma prática e saudável de temperar os alimentos!

Atualizado: 14 de jan. de 2021

A gastronomia do século XXI tem tudo a ver com saúde e sustentabilidade. Enxergamos os benefícios de uma alimentação que seja o mais natural possível, fugindo dos refinados e aditivos químicos. É nesse cenário que hoje quero falar com vocês sobre o alimento que consumimos todos os dias, desde pequeninos: o sal.


No processo de refinaria, o cloreto de sódio (NaCl, ou sal de cozinha) perde os outros elementos naturais de sua composição, sendo o mais relevante o iodo. É por isso que o sal tem na embalagem a descrição “sal iodado”. O sal é nossa principal fonte natural de iodo, então a indústria teve que reintroduzir esse mineral ao sal refinado para não levar a uma carência do mesmo na população (doença bócio).


Mesmo assim, o sal refinado deve ser consumido com cautela, pois favorece a retenção de líquidos e, portanto, leva ao inchaço.





Além disso, ele contribui para elevação da pressão arterial. Tendo isso em mente, eu sabia que precisava de uma alternativa para o sal de cozinha tradicional em minhas receitas.

Entendo que esta ainda seja a forma mais barata de se adquirir sal, mas recomendo que o consumo deste produto seja reduzido ao máximo quando possível. Dê preferência ao sal grosso e processe-o em casa ou utilize um moedor, é mais saboroso e seguro para a sua saúde. Ao mesmo tempo, rende mais então acaba equiparando-se ao custo do sal marinho refinado.

Para a minha linha de temperos, escolhi usar o sal rosa do Himalaia, que tem sido muito noticiado nos últimos anos como outra opção ainda mais saudável. Isso se deve principalmente a seu caráter antioxidante.

Sal grosso do Himalaya

P: Mas por que precisamos consumir alimentos antioxidantes? Ou porque o detox está tão na moda?

R: Antigamente, não havia produção em massa, aditivos químicos, aerossol, e ultraprocessamento dos alimentos. Com a evolução da indústria e introdução desses produtos desconhecidos em nosso organismo, surgiu também o câncer: doença devastadora que ocorre à medida que radicais livres, ou seja, esses elementos que não sabemos digerir e eliminar, acumulam-se e começam a degenerar nossas células, criando um tumor. Agora, como forma de proteção, passamos a chamar os alimentos que ajudam a livrar nosso corpo desses radicais de antioxidantes.

Bom, passada a questão da saúde vem outro elemento cada vez mais importante para a gastronomia: a praticidade. Num mundo de ritmo cada vez mais veloz, é mais difícil dedicar tempo para temperar nossas receitas sem recorrer aos produtos químicos como tabletes de caldo pronto, em pó. E não faz sentido algum temperar um filé de frango com sal rosa ou grosso e um pó químico de sabor, não é? Perde-se todo o princípio de natural, antioxidante e saudável. Daí, vi a necessidade de misturar ao sal os temperos. Com o mesmo produto consegue-se, assim, salgar e conferir sabor aos pratos.

E o melhor é que você pode fazer a mesma coisa em casa!


Como? Existem duas formas que eu pratico. A primeira é mais rápida: basta comprar os seus condimentos favoritos desidratados, misturar todos e juntar ao sal grosso dentro do moedor. Por exemplo: tomilho seco, alecrim, salsinha e cebolinha desidratados e sal grosso. O outro método é processar o sal grosso com os temperos no liquidificador rapidamente para que ele fique fino e absorva o sabor dos temperos. Assim, você evita de salgar demais o prato usando o sal grosso caso ainda não tenha experiência em cozinhar com ele, já que ele demora um pouco a dissolver e liberar o sódio na preparação.



Esse simples preparo de saborização do sal toma apenas 5 minutos do seu tempo, te ajudará no dia-a-dia da cozinha e enriquecerá a qualidade dos seus preparos. Experimente hoje mesmo e conte para mim como foi: quais ervas usou, o que achou, quais foram suas dúvidas. É só preencher o campo de contato aqui do meu site ou através das redes sociais e eu mesma te responderei!


59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo